Como é a geração Z no mercado de trabalho

Sempre conectados à internet, entendem tudo sobre tecnologia, não perdem uma novidade das redes sociais e se comunicam com facilidade. Estamos falando da Geração Z, o maior grupo populacional do mundo entre os anos 2019 e 2020. 

Nascidos em um ambiente totalmente digital, os jovens da geração Z já chegaram ao mercado de trabalho e trazem consigo a necessidade de mudanças tanto nas estruturas e processos corporativos quanto nas relações profissionais.

Mas apesar deste cenário, é natural que o mercado de trabalho se adapte conforme as novas gerações ocupam os postos profissionais.  

Confira neste post como a geração Z se comporta no mercado de trabalho e quais desafios estes jovens têm pela frente.

Conheça a geração Z

Originada no século 21, a geração Z é formada pelos chamados nativos digitais, jovens que nasceram entre os anos de 1995 e 2010, em meio ao boom da transformação digital e da imersão tecnológica. 

Devido ao contexto histórico e aos eventos recentes, os jovens da geração Z levam um estilo de vida próprio e hiperconectado, e se comunicam em uma linguagem tecnológica conectada aos aplicativos e redes sociais e repleta de gírias, abreviações e figuras. 

Comunicativos, proativos e autodidatas, o público que compõe a geração Z absorve informações em uma velocidade incrível, encontrando soluções práticas para questões que as outras gerações levariam mais tempo para resolver.

Este desejo por buscar conhecimento e aprendizado explica a preferência da geração Z pelo chamado “Do It Yourself” (Faça Você Mesmo), movimento em que as pessoas reformam, constroem e criam sem a ajuda de profissionais. 

Os jovens da geração Z ainda são agitados e podem apresentar certa dificuldade em lidar com aspectos tradicionais do mercado de trabalho, como cumprimento de horários fixos, rotina entediante, hierarquia verticalizada, entre outros. 

Além destas características que citamos, existem diversas outras particularidades que são fáceis de identificar em pessoas da geração Z:

  • independentes;
  • imediatistas;
  • criativos;
  • desapegados;
  • individualistas;
  • interativos;
  • atentos;
  • críticos;

Entre outras...

A geração Z no mercado de trabalho

A chegada da geração Z ao mercado de trabalho está impactando a cultura organizacional de grande parte das empresas. E como mencionamos, os jovens desta geração podem enfrentar dificuldades para se adaptar a certos hábitos do mercado de trabalho, como rotina maçante e horários fixos. 

Mas apesar de demandar mudanças no universo corporativo, os Z’s também apresentam qualidades importantes para a vida profissional, como a capacidade de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo e a facilidade para lidar com dificuldades e imprevistos. 

Além disso, estes jovens trabalham bem em grupo, estão sempre abertos a questões de diversidade e costumam se engajar em causas como racismo, meio ambiente, entre outros. 

Considerando que a geração Z surgiu em um contexto de desenvolvimento digital e cultura online, a interação tecnológica é natural para esses jovens, que são hiperconectados e estão presentes na internet em tempo integral, inclusive durante o trabalho. 

Os Z’ estão em constante movimento e atentos a todos os acontecimentos, participando de maneira ativa em grupos de trabalho e oferecendo soluções para os desafios.

Outra característica da geração Z perante o mercado de trabalho é a tendência a investir em um negócio próprio. Afinal, os Z’s são visionários e desejam maior autonomia no trabalho. 

A contratação da geração Z

Empresas que desejam atrair os talentos da geração Z e oferecer oportunidades de valor para esse público devem investir em estratégias diferentes das tradicionais, que prendam a atenção dos jovens e tenham valor.

Confira como recrutar e contratar profissionais da geração Z:

1. Comunicação pelas redes sociais

Processos seletivos virtuais realizados por meio de mensagens e chamadas de vídeo são um grande atrativo para os profissionais da geração Z, que vivem conectados à internet e às redes sociais. 

Sem contar que as entrevistas virtuais costumam dar mais segurança e conforto para os candidatos responderem às perguntas e demonstrarem todo seu potencial.  

2. Bom salário, benefícios e autonomia 

Apesar de ambiciosos, os profissionais da geração Z valorizam sua autonomia e a satisfação na carreira. Por isso, oferecer uma boa remuneração em conjunto com benefícios e oportunidades de crescimento é um bom atrativo para os Z’s.

Afinal, para a geração Z o dinheiro importa, desde que seja acompanhado de valores organizacionais que permitam a autonomia, a independência e o desenvolvimento profissional. 

3. Flexibilidade de atuação

Já comentamos por aqui que os profissionais da geração Z podem encontrar dificuldades para seguir uma rotina fixa de horários, uma vez que a liberdade de trabalho é uma característica bastante valorizada por esses profissionais. 

Dessa forma, empresas que buscam atrair os Z’s devem permitir uma maior flexibilidade de atuação, além de possibilitar o trabalho remoto em home office e coworkings.

Os aspectos que apresentamos chamam a atenção da geração Z, garantem maior satisfação com o trabalho e fazem com que os jovens profissionais sejam mais dedicados e proativos e apresentem melhores resultados. 

Se você faz parte da geração Z e se identificou com os desafios deste público no mercado de trabalho, confira mais dicas para a sua carreira no blog da RH Center!

Em nosso blog, você confere outros artigos sobre vida profissional, desafios e oportunidades, além de ter acesso a dicas exclusivas para elevar a sua carreira.

Clique aqui para acessar o nosso blog e ficar por dentro das últimas novidades do mercado de trabalho.

 


Desenvolvido por TNB.studio