A reciclagem de isopor como aliada do meio ambiente

09/03/2020 Ambiental

Diferente do que muita gente imagina, é sim possível reciclar isopor! Também conhecido como poliestireno expandido, este elemento nada mais é do que um tipo de plástico celular, rígido, e que pode ser moldado de muitas formas diferentes. 

Por se tratar de um material versátil, ele é utilizado de muitas formas diferentes, como na construção civil, na indústria de alimentos e bebidas, na indústria de eletrodomésticos (como forma de proteção no momento do transporte) e mais uma infinidade de outras aplicações.

Devido à sua praticidade, leveza, capacidade de isolamento térmico, e principalmente ao baixo custo, a produção de isopor aumenta cada vez mais. 

Atualmente estima-se que no Brasil sejam produzidos em torno de 100.000 toneladas deste material por ano. Parece até pouco, mas vale destacar que ele é composto de 98% de ar e apenas 2% de matéria prima, por isto o isopor é tão leve. Entretanto, isso faz com que seu volume seja muito grande se comparado ao seu peso.

O isopor não é um material biodegradável, já que seu processo de decomposição na natureza leva em torno de 150 anos. 

Quimicamente ele é composto por apenas dois elementos, carbono e hidrogênio, ou seja, não contêm nenhum produto tóxico ou perigoso para o meio ambiente ou a camada de ozônio. 

Contudo, se for descartado de forma inadequada, ele representa um risco para o ecossistema, pois seu destino final quase sempre são rios e mares.

Na natureza, o isopor pode se quebrar em pequenas bolinhas ou pelotas que acabam sendo ingeridas por cetáceos ou peixes, prejudicando o sistema digestivo desses animais.

A reciclagem do isopor

Se for descartado de forma correta, o isopor pode ser 100% reciclado. Afinal, o mercado já possui máquinas especificamente desenvolvidas para a reciclagem desse material.

  1. Conheça a seguir o processo completo da reciclagem do isopor:
  2. O isopor coletado é normalmente destinado para empresas que trabalham especificamente no reaproveitamento desses materiais;
  3. Durante o processo, a máquina de reciclagem retira o gás que compõe o isopor;
  4. Em seguida, os resíduos são compactados em forma de fardos ou tarugos;
  5. Realizado o processo, o material fica pronto para venda e reutilização na indústria;  
  6. Normalmente o material passa por uma segunda reciclagem nas indústrias, sendo  triturado, derretido e granulado. Após esse processo, os resíduos se tornam novamente matéria prima para a fabricação de novos produtos.

Existe ainda outras formas de reutilizar o isopor, como por exemplo para a geração de energia. Devido ao seu alto poder calorífico, ele pode ser queimado em usinas térmicas, produzindo energia. Ao ser queimado o isopor se transforma em gás carbônico e vapor de água. 

Outra forma de reutilização do isopor é no processo de fabricação de óleos e gases, através da reciclagem química.

Estima-se que anualmente sejam reciclados no Brasil em torno de 30 a 35 mil toneladas de poliestireno expandido, quantidade que inclusive se iguala aos índices dos principais países europeus. 

Diante de todas estas informações, o isopor pode ser considerado um produto ecológico, já que não contamina o solo, o ar e a água, e ainda é 100% reciclável. 

Entretanto, para que ele possa ser reaproveitado, é necessária a separação e destinação correta dos resíduos.

Para quem possui interesse no assunto ou procura um parceiro para realizar o descarte correto do material, existe na região metropolitana de Curitiba, mais especificamente em Campo Magro, uma usina de reciclagem de isopor. 

A máquina utilizada nesta empresa tem capacidade para reciclar 300 toneladas por mês, quantidade que ajuda a salvar aproximadamente cinco mil árvores. 

Está esperando o que para contribuir com o meio ambiente? Ajude na separação, destinação e divulgação destas informações.

 


Autor
Daniel Rigonatto | Diretor Executivo
Desenvolvido por TNB.studio