Campanha Mais um mês sem fome

14/04/2020 Social

O ano de 2020, sem dúvidas, tem desafiado nossos limites como sociedade, trabalhadores, empresários e gestores públicos. 

São em momentos como este que percebemos que não existem diferenças entre classes sociais, raças e ideologias. Conseguimos ver de perto que as fragilidades da vida são estendidas a todos os mortais.  

Neste período de pandemia mundial e de insegurança, em que os planejamentos são trazidos para o curto prazo, pois a incerteza marca o amanhã, apelamos ao mais profundo título que possuímos: o de ser humano.

Temos recebido em nossa empresa por funcionários, parceiros, sindicatos entre outros stakeholders, a dura mensagem da fome nos lares dos cidadãos brasileiros. 

Sabemos que muitos que vivem nessas condições hoje talvez não tiveram as mesmas oportunidades, vivem desde o nascimento em situação de vulnerabilidade ou até mesmo perderam seus negócios e agora enfrentam momentos difíceis.

Sou empresário, pai de dois filhos e trabalho desde os meus 13 anos de idade. Entendo que a responsabilidade do cuidado de um povo pertence ao seu gestor maior. Porém, neste momento em que somos todos assolados pelo mesmo mal, precisamos pensar como humanidade. 

Quando mais jovem apoiei projetos missionários em países de profunda miséria, e vi com meus próprios olhos na África subsaariana o que a fome faz com crianças e adultos.

Hoje tenho visto o mesmo olhar em nossas crianças brasileiras aqui mesmo nas regiões mais afastadas de Curitiba.

Após uma conversa com o presidente do nosso sindicato laboral, chorei compulsivamente ao reviver na minha memória aqueles olhares de fome e tristeza das crianças africanas, só que agora próximos a mim e na minha cidade.

Eu não consigo ser cidadão, pai, empresário e ser humano e não me comover com a situação dessas pessoas, desses que também são meu povo. Por essa razão, através de amigos, fornecedores, parceiros e clientes, estruturei uma rede de apoio para o sustento dessas pessoas nesse momento desafiador. 

Se você, assim como eu, acredita que as pessoas da sua cidade, sejam elas quem for, mereçam mais um mês sem fome, entre em contato com o Supermercado Jacomar através do e-mail herika.cristina@jacomarsm.com.br ou pelo telefone (41) 99176-8602 / 3386-8200 e diga que você deseja apoiar a Campanha Mais um mês sem fome, com uma cesta básica. Você também pode ir em qualquer loja da rede e fazer sua doação no caixa informando o nome da Campanha.

 

A Rede Jacomar montou uma cesta já com a entrega em nossa empresa.

 

Nós destinaremos esses alimentos às comunidades carentes, através da nossa equipe de sustentabilidade em parceria com sociedade civil organizada.

Campanha         

Semanalmente nós reportaremos as ações em nossas redes sociais, com o nome dos apoiadores e das comunidades atendidas. Também estruturamos pontos de coleta de resíduos eletrônicos, para acumular materiais que serão transformados em recursos para adquirir mais cestas.   

 Campanha

Se você que está lendo essa mensagem também é um empresário ou executivo, e possui uma área de sustentabilidade ou mesmo já apoia projetos sociais, divulgue seu trabalho! 

Mostre seus esforços, motive e encoraje outros a fazerem o mesmo, seja uma boa notícia na vida das pessoas, seja uma notícia de esperança e demonstre que o título maior na sua carreira profissional é de ser humano.

Uma vez me perguntaram: Daniel, o que você vai deixar para os seus filhos quando não estiver mais aqui? Eu pensei bastante sobre o assunto e num primeiro momento as coisas mais rápidas que vêm à mente são bens acumulados, uma reserva financeira, etc. 

Depois, analisando melhor lembrei que meus pais não tiveram condições de me deixar nada disso e mesmo assim foram pra mim as melhores pessoas que eu poderia ter conhecido.

Já com a resposta na minha cabeça eu respondi: o que vou deixar para os meus filhos é a imortalidade das minhas ações gravadas na memória de cada um deles, que os motivaram a serem quem são para si mesmos e para o mundo.  

Hoje eu gostaria de deixar no seu pensamento essa pergunta: que história você vai deixar de humanidade na memória das pessoas e da sua cidade ?  

Perguntei muitas vezes para meus colaboradores: se nossa empresa deixasse de existir hoje, que diferença ela faria na vida da sociedade?  

Os concorrentes com certeza ficariam com os nossos clientes, as pessoas mudariam de endereço ao procurar emprego ou fazer entrevistas, nossos colaboradores seriam absorvidos pelas demais consultorias, como já acontece hoje. 

Então, até pouco tempo atrás realmente a nossa presença e a nossa ausência não representava nenhuma diferença para a sociedade.

Depois que implantamos nosso programa de sustentabilidade, temos apoiado diversos projetos, integramos nossa empresa ao pacto global da ONU e estamos cada vez mais comprometidos em melhorar a vida das pessoas e da sociedade em que vivemos. 

Por isso, hoje eu posso dizer que se nossa empresa deixar de existir, faremos falta na vida das pessoas que ajudamos, e isso nos dá mais motivos para lutar diariamente para mantermos nossas portas abertas e nosso negócio funcionando. 

Temos um compromisso maior que o nosso resultado financeiro, temos um compromisso com suporte na vida de muitas pessoas que hoje precisam de nós.

Fica para nossa reflexão:

Será que nossas empresas, se um dia deixarem de existir, realmente farão falta para as pessoas?

Daniel Rigonatto

Diretor Executivo


Autor
Daniel Rigonatto | Diretor Executivo
Desenvolvido por TNB.studio